Gestão da saúde corporativa: qual a importância dela no seu negócio?

Quando falamos em gestão da saúde corporativa, estamos nos referindo à estratégia de tratar a saúde e o bem-estar dos colaboradores como um esforço chave para controlar custos e obter resultados financeiros e de reputação, entre outros.

Lamentavelmente, nem todas as empresas fazem uma boa gestão da saúde corporativa. E este é um tema de extrema importância nos dias atuais.

Sobre isso vamos refletir ao longo deste artigo. Você vai ver, a seguir, quais passos podem ser dados a partir de agora para que o seu negócio obtenha os benefícios de uma gestão eficiente de saúde corporativa.

Acompanhe!

Três maneiras de ver a gestão da saúde corporativa

Existem, basicamente, três tipos de visão relacionadas à gestão da saúde corporativa nas empresas brasileiras: legalista, paternalista e estratégica.

Entenda:

1. Legalista

A empresa que tem uma visão meramente legalista só se preocupa com os aspectos legais (leis, instruções normativas, acordos com sindicatos, auditorias etc.).

Normalmente fazem investimentos na área da saúde se houverem leis e instruções normativas, pois quer evitar multas e sanções impostos pelos órgãos governamentais.

2. Paternalista

Já o empregador que tem uma visão paternalista é aquele que quer que os colaboradores se sintam felizes no ambiente de trabalho. Por isso, oferece programas de ginástica laboral e, eventualmente, massagens e outras atividades voltadas para a satisfação.

3. Estratégica

Por fim, fazendo parte de um grupo mais raro, há também a empresa que entende que é preciso ir além da legislação e da motivação dos colaboradores. Ela tem uma visão estratégica com relação à gestão da saúde corporativa.

Dessa forma,  ampara suas ações no reconhecimento de que a saúde corporativa também impacta nos resultados empresariais; considera os custos e retornos em médio e longo prazo, focando em indicadores de negócio.

Por que ver a gestão da saúde corporativa como uma estratégia

A gestão da saúde corporativa deve ser vista como um investimento da empresa em sua força de trabalho, objetivando retornos previsíveis e facilmente controlados e mensuráveis.

Normalmente, a empresa que faz isso tem resultados positivos e custos controlados com a saúde. Ao tratar o tema como uma estratégia, a organização passa a obter mais controle sobre seus custos, consegue elevar a produtividade, além de fornecer ao mercado uma reputação de socialmente responsável.

Com isso, reduz significativamente a rotatividade, retém talentos, aumenta sua competitividade e economiza dinheiro.

E na sua empresa, a gestão da saúde corporativa já é tratada de maneira estratégica? Deixe seu comentário!

→ Aprofunde-se ainda mais neste tema: baixe agora mesmo o e-book GESTÃO DA SAÚDE CORPORATIVA!