Qualidade de vida dos colaboradores: 7 iniciativas que podem compor um programa bem-sucedido

Reduzir custos é fundamental para as empresas, uma vez que a lucratividade está intimamente ligada ao custo de produção e às margens de lucro obtidas com a venda dos produtos ou serviços.

Muitos empresários, no entanto, deixam alguns aspectos de lado quando trabalham o controle de custos. É, muitas vezes, o caso de quem se preocupa com a saúde dos colaboradores somente como uma forma de cumprir com a legislação de sua categoria ou para motivar as pessoas.

Neste artigo, você vai ver como estruturar um programa de qualidade de vida ligado ao planejamento estratégico do negócio pode ajudar a reduzir custos com saúde.
Continue lendo para entender!

O desafio de reduzir custos com saúde

Todas as empresas, consciente ou inconscientemente possuem gastos com saúde.

Muitas consideram apenas os custos relacionados aos gastos dos colaboradores com o plano de saúde (consultas realizadas, exames, internações etc.). Mas isso não é tudo.

É muito importante considerar também os gastos com presenteísmo (corpo presente, mas sem envolvimento com o trabalho), absenteísmo (ausência no trabalho), afastamentos (licença médica, ausência prolongada ao trabalho), pois geram desperdícios de recursos que nem sempre são facilmente identificados.

Ao lançar luz sobre os hábitos dos colaboradores, bem como seu perfil no âmbito da saúde, é possível verificar se a empresa está gastando muito ou pouco para manter seus funcionários em toda sua potencialidade produtiva.

É importante considerar também que colaboradores mais saudáveis, além de reduzirem os gastos da empresa também se mantém mais leais, o que diminui a rotatividade e ajuda a reter talentos fundamentais para o sucesso do negócio.

Um bom programa de qualidade de vida ajuda a reduzir custos com saúde

A boa notícia é que há uma maneira estratégica de manter os custos com saúde sob controle. Estamos falando da estruturação e da execução de um programa de qualidade de vida estratégico, ou seja, com objetivos bem claros e resultados mensuráveis.

Um bom programa de qualidade de vida torna o trabalho preventivo, com controle efetivo dos custos, de utilização consciente do plano de saúde, incentivo aos hábitos saudáveis, inserção de atividades sob medida para o perfil dos colaboradores (identificar quem já tem problemas de saúde, quem é propenso a desenvolver e quem está 100% saudável, para atuar de maneira certeira em cada caso).

Sem essa visão estratégica, a empresa trabalha em saúde sempre remediando, nunca prevenindo.

Se pensarmos na organização realmente como um organismo vivo, no qual os colaboradores seriam os órgãos vitais, veremos que mantê-los saudáveis é mais do que meramente cumprir a lei e motivar os profissionais. É também garantir que os gastos serão gerenciados de forma eficiente e o negócio funcionando a todo vapor.

Mas é importante trabalhar o engajamento, a percepção e a satisfação dos colaboradores

No entanto, para que o programa de qualidade de vida seja eficaz em todos os seus objetivos, inclusive no que diz respeito à redução de custos, é importante que os colaboradores se engajem nas atividades, que percebam valor e se sintam satisfeitos.

E há várias formas de conseguir isso. Elas vão desde um plano de comunicação eficiente até a mensuração de resultados, passando por definir indicadores de engajamento e promoção de satisfação com palestras de conscientização, por exemplo.

Como estão os gastos com saúde dos colaboradores na sua empresa? Você já conta com um programa de qualidade de vida focado em reduzir custos?

Aprofunde-se mais neste assunto; baixe agora mesmo o e-book ‘COMO UTILIZAR O PROGRAMA DE QUALIDADE DE VIDA PARA REDUZIR CUSTOS COM A SAÚDE’ – é grátis!